Inclusão social

Inclusão Social – Saiba Porque Ela é Tão Essencial no Brasil

Inclusão social tem sido um dos assuntos mais comuns na atualidade. O motivo não é por acaso. A construção de uma sociedade mais inclusiva, capaz de gerar oportunidades para todas as pessoas é essencial para o crescimento de um país.

O Brasil, ainda que tenha avançado bastante no campo da inclusão nos últimos anos, ainda tem um longo trabalho pela frente se comparado a outros países.

Para saber detalhes sobre a importância das ações de inclusão social no nosso país, confira nosso artigo.

No que consiste a inclusão social?

Antes de entender a importância da inclusão social é preciso saber o que esse termo significa. De maneira geral, a inclusão no âmbito social está relacionada à igualdade.

Essa igualdade deve ser estabelecida independentemente de fatores como classe social, condição física, cor, idade, identidade de gênero, orientação sexual etc.

A inclusão social, por tratar de igualdade, também está relacionada à geração de oportunidades nas mais diversas áreas: educação, lazer, cultura, mercado de trabalho etc.

Um dos objetivos das ações inclusivas é conceder iguais oportunidades de acesso a produtos e serviços, evitando qualquer elemento de exclusão decorrente de preconceitos ou demais situações.

Para desenvolver boas estratégias que favoreçam a inclusão é imprescindível analisar e compreender as necessidades específicas de cada grupo social.

Por exemplo, se o objetivo de determinada ação inclusiva é proporcionar melhores condições de atendimento bancário aos surdos ou cegos, é preciso compreender com detalhes as necessidades mais específicas dessas pessoas.

Para isso, a empatia consiste em um fator essencial. Somente por meio dela é possível desenvolver ações que atendam às mais diversas necessidades.

Vejamos alguns exemplos de necessidades mais específicas:

– Para que as pessoas com deficiência visual consigam ter acesso aos conteúdos escritos vinculados à internet é essencial que sejam adotados recursos tecnológicos que disponibilizem tais conteúdos em forma de áudio.

Essa mesma ideia pode ser aplicada no que se refere a livros. Inclusive, muitos títulos já são disponibilizados em formato de áudio com o objetivo de ampliar o acesso das pessoas cegas às obras literárias, técnicas etc.

– Para que os surdos tenham melhores condições de se comunicar no dia a dia, aumentando a socialização, é preciso investir no ensino da Língua Brasileira de Sinais – Libras, para que cada vez mais pessoas conheçam essa linguagem.

Como é possível perceber, as ações inclusivas se estendem para a vida prática das pessoas, abrangendo situações simples do dia a dia e também maior acesso à questões básicas como saúde, educação etc.

História da inclusão social

Ainda que a inclusão social seja um tema cada vez mais conhecido, esse assunto é de certa forma recente. Somente nas últimas décadas é que passou a ocorrer uma preocupação maior quanto à inclusão em diferentes áreas da sociedade.

Surgimento

A inclusão social no Brasil demorou mais a ocorrer se comparada a outros países pelo mundo, sobretudo os europeus e Estados Unidos.

Enquanto que na Europa as questões relacionadas à inclusão começaram a ganhar visibilidade na década de 1950, aqui no Brasil os primeiros debates quanto à importância da inclusão social ocorreram durante a década de 1980 e ganharam força na década de 1990.

Tanto na Europa quanto nos Estados Unidos e Brasil, a maioria das ações inclusivas começaram pela área da educação.

Inicialmente, o grande objetivo era garantir que todas as crianças pudessem frequentar as escolas regulares, tendo pleno acesso à educação tradicional.

Essas ações foram se ampliando para vários grupos, abrangendo também as pessoas portadoras de deficiência.

Principais referências

No campo da inclusão social, especificamente na área de educação especial, uma das maiores referências para educadores brasileiros e estrangeiros é a famosa Declaração de Salamanca.

Esse documento foi feito em 1994 durante a Conferência Mundial sobre Educação Especial, que foi realizada na cidade de Salamanca (Espanha).

Essa declaração, que consiste numa resolução das Nações Unidas, trouxe diretrizes elementares quanto à criação e transformação de políticas e sistemas educacionais de acordo com os conceitos estabelecidos por diversos movimentos inclusivos.

Outras referências importantes na área da inclusão social são a Convenção de Direitos da Criança (1988) e a Declaração sobre Educação para Todos (1990).

Alguns conceitos básicos

Inclusão social

De acordo com a Declaração de Salamanca, uma escola inclusiva é aquela que se dedica continuamente a transformar ações discriminatórias.

Dessa forma, uma escola inclusiva busca contribuir para a criação de comunidades mais acolhedoras, que sejam capazes de contribuir para que cada vez mais pessoas tenham pelo acesso às oportunidades e socialização.

Inclusão social no Brasil

A inclusão social no Brasil, conforme mencionado anteriormente, tem ocorrido com certa lentidão. O motivo disso são os problemas estruturais e econômicos pelos quais nosso país tem passado há várias décadas.

Questões relacionadas à estrutura e economia trazem um impacto direto para áreas básicas como educação, saúde, cultura etc. Tudo isso faz que as ações inclusivas sejam feitas de forma demorada.

Por mais que sejam diversos os desafios enfrentados no Brasil, muitas instituições públicas, ONGs, empresas privadas e a sociedade como um todo estão se mobilizando quanto ao desenvolvimento de estratégias que ofereçam melhores oportunidades para todas as pessoas.

Inclusão social e mercado de trabalho

Por meio de práticas inclusivas no mercado de trabalho é possível que as pessoas portadoras de deficiência tenham acesso às oportunidades de emprego.

Ao receber essas oportunidades, como consequência, os indivíduos portadores de deficiência poderão ter maior independência financeira e também condições de melhor socialização.

Em virtude da Lei de Cotas para Deficientes, grande parte das empresas passou a contratar um percentual de funcionários portadores de necessidades especiais para integrar o quadro funcional.

Esses percentuais definidos por lei de acordo com o porte e quantidade de funcionários das empresas permitiu que muitas oportunidades fossem criadas.

Além dessas contratações em virtude da Lei de Cotas para Deficientes, muitas empresas estão investindo em projetos que ampliem essa oferta de vagas.

Também é cada vez mais comum que sejam feitos investimentos no desenvolvimento profissional de pessoas com deficiência que já atuam nas empresas.

Inclusão social no planeta – informações relevantes

Informações divulgadas pela Organização das Nações Unidas – ONU revela muitos dos desafios que o mundo enfrenta no que se refere à aplicação de ações inclusivas. Vejamos quais são essas informações:

– 80% dos indivíduos que possuem um determinado tipo de deficiência moram em países que ainda não estão em desenvolvimento.

– A Organização Mundial da Saúde – OMS revela que 1 bilhão de pessoas em todo o mundo possui algum tipo de deficiência.

– Mais de 50% dos indivíduos com alguma deficiência não conseguem pagar pelas despesas relacionadas aos serviços de saúde.

– O Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF menciona que cerca de 150 milhões de crianças apresentam algum tipo de deficiência.

– Aproximadamente 90% das crianças portadoras de deficiência não frequentam a escola nos países em desenvolvimento;

– Cerca de 30% dos meninos ou meninas de rua possuem alguma deficiência.

– Entre as populações mais pobres do planeta, 20% das pessoas sofrem com algum tipo de deficiência.

– Em países considerados desenvolvidos, em torno de 60% das crianças que apresentam alguma deficiência conseguem completar a escola primária.

No entanto, nos países em desenvolvimento, apenas 45% (meninos) e 32% (meninas) conseguem terminar o ensino primário.

– Meninas e mulheres que apresentam algum tipo de deficiência correm mais riscos de sofrer abusos, entre eles violência física e estupro.

– O custo de vida de uma pessoa portadora de deficiência aumenta em média um terço da renda em virtude dos gastos relacionados a determinada deficiência.

Inclusão social no Brasil – informações relevantes

Inclusão social

A inclusão social no Brasil, assim como ocorre em outros países, deve ser analisada considerando informações e dados específicos que muito tem a revelar sobre os desafios enfrentados. Vejamos.

– Conforme informações do Ministério da Educação, no ano de 2017, o índice de inclusão de pessoas portadoras de deficiência nas escolas regulares (tradicionais) foi de 90,9%.

– Grande parte dos alunos com necessidades especiais não possui acesso a atendimento educacional especializado. Somente 40% dos estudantes conseguem acessar esse tipo de atendimento.

– No sistema tradicional de ensino, no ano de 2017, foram realizadas 827.243 matrículas de alunos portadores de alguma deficiência.

– Somente 26% das creches disponibilizam vias e dependências adequadas para atender aos alunos com necessidades especiais.

– Apenas 25% das pré-escolas disponibilizam vias e dependências adequadas para atender alunos portadores de deficiência.

– Somente 32% das escolas de educação infantil possui banheiros adequados para atender aos alunos com necessidades especiais.

– No ano de 2017, na educação infantil, foram registradas 79.749 matrículas, enquanto que no ano de 2016, esse número foi de 69.784.

Outros problemas estruturais

Quanto à inclusão social, além das informações mencionadas anteriormente, há outros dados que revelam o impacto das questões estruturais quanto ao desenvolvimento de ações inclusivas.

– No que se refere às escolas municipais, somente 29% delas disponibilizam biblioteca ou sala de leitura. Com relação às escolas de ensino fundamental, apenas 54% delas oferecem biblioteca ou sala de leitura.

– No que diz respeito ao ensino médio, os números melhoram bastante. 88% das escolas oferecem biblioteca ou sala de leitura. Dessas, mais de 45% disponibilizam estrutura adequada de laboratório de ciências. Em mais de 76% dessas escolas, há quadras esportivas.

– Sobre a disponibilização de laboratório de ciências, a situação não é das melhores. Somente 11% das escolas de ensino fundamental oferecem estrutura adequada de laboratório.

É importante salientar que em determinadas regiões do Brasil, as questões estruturais são ainda mais preocupantes. As escolas necessitam de condições mínimas no que se refere a água tratada, existência de banheiros, eletricidade etc.

Essas informações demonstram que o Brasil necessita realizar muitos investimentos estruturais para tornar possível o desenvolvimento e aplicação de ações inclusivas que sejam realmente eficazes.

Esses problemas estruturais, além de prejudicarem o acesso a uma educação de qualidade no que se refere às pessoas portadoras de deficiência, causam sérios problemas à educação de todas as pessoas, atrasando o desenvolvimento do país.

Nesse contexto, ONGs, empresas privadas e a sociedade como um todo tem se mobilizado para criar condições inclusivas para diversos grupos sociais.

No entanto, mesmo com esses esforços, o investimento governamental é essencial para que problemas estruturais sejam resolvidos.

Declaração sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

No dia 9 de dezembro de 1975 foi proclamada uma declaração pela Assembleia Geral da ONU. De maneira objetiva, essa declaração estabelece um compromisso com a inclusão social que deve ser adotada por todos os países.

Vejamos qual é o conteúdo dessa declaração:

 “Pessoas com deficiência têm o direito …

ao respeito pela sua dignidade humana …

aos mesmos direitos fundamentais que os concidadãos …
a direitos civis e políticos iguais aos de outros seres humanos …
a medidas destinadas a permitir-lhes a ser o mais autossuficientes possível…

a tratamento médico, psicológico e funcional [e]
a desenvolver suas capacidades e habilidades ao máximo [e]
apressar o processo de sua integração ou reintegração social …

à segurança econômica e social e a um nível de vida decente …

de acordo com suas capacidades, a obter e manter o emprego ou se engajar em uma ocupação útil, produtiva e remunerada e se filiar a sindicatos [e] a ter suas necessidades especiais levadas em consideração em todas as etapas do planejamento econômico e social …

a viver com suas famílias ou com pais adotivos e a participar de todas as atividades criativas, recreativas e sociais [e não] serem submetidas, em relação à sua residência, a tratamento diferencial, além daquele exigido pela sua condição …

[a] serem protegidas contra toda exploração, todos os regulamentos e todo tratamento abusivo, degradante ou de natureza discriminatória …

a beneficiarem-se de assistência legal qualificada quando tal assistência for indispensável para a própria proteção ou de seus bens…”

Cada ponto dessa declaração deixa claro o compromisso relacionado à dignidade humana no que se refere as ações de inclusão social no mundo todo.

Depois de saber detalhes sobre o que é e a importância da inclusão social, fique por dentro dos nossos demais conteúdos com temas de alta relevância para as pessoas que buscam construir uma sociedade inclusiva nas mais variadas áreas.

Imagens: revide.com.br / boavista.rr.gov.br / vivamelhoronline.com

Comentários