Libras

LIBRAS: Tudo sobre a Língua Brasileira de Sinais

A Libras, Língua Brasileira de Sinais,vem ganhando cada vez mais notoriedade no Brasil. Um dos motivos é o aumento do engajamento por parte da população e de órgãos governamentais quanto a uma efetiva inclusão social das pessoas surdas.

A Libras, enquanto língua independente, é um importante recurso que possibilita uma comunicação padronizada entre surdo-surdo e surdo-ouvinte. Por isso, essa língua de sinais é utilizada pela comunidade surda e também por ouvintes como forma de estabelecer uma interação.

Como surgiu a Libras?

Compreender o surgimento da Libras em nosso país é também conhecer a história da comunidade surda e ver como as primeiras conquistas de uma sociedade mais inclusiva foram sendo obtidas.

O surgimento dessa língua de sinais no Brasil ocorreu graças ao trabalho desenvolvido por muitos anos pelo professor francês Hernest Huet.

Bastante reconhecido na educação de surdos na França, Huet veio ao Brasil em 1855 e apresentou ao Imperador Dom Pedro II um relatório com a proposta para criação de um instituto brasileiro que seria atuante na educação dos surdos. O imperador acatou a proposta do relatório.

Instituto Nacional de Educação de Surdos – INES.

No dia 26 de setembro de 1857 foi fundado o Imperial Instituto de Surdos-mudos, que atualmente recebe o nome de Instituto Nacional de Educação de Surdos – INES.

A partir da criação desse instituto, Hernest Huet desenvolveu a Libras tendo como maior influência a Língua de Sinais Francesa, que ele já utilizava em seu país de origem.

É importante frisar que Huet, além de ser um grande intelectual da época e excelente professor, era surdo desde os 12 anos de idade. Esse fator fez toda diferença para que ele compreendesse com exatidão as necessidades específicas dos surdos.

A Língua Brasileira de Sinais, embora tenha sido criada a partir das influências da língua francesa e do idioma falado em nosso país (português), também considerava a linguagem gestual que já era utilizada pelos surdos de maneira informal.

Saiba mais sobre a HISTÓRIA DA LIBRAS

A Libras é universal?

Não. A Língua Brasileira de Sinais é utilizada somente no Brasil. Nos demais países são adotadas outras línguas, próprias de cada um deles.

Exemplos:

– Língua de Sinais Americana;

– Língua de Sinais Chilena.

Até mesmo em países nos quais o português é o idioma oficial, a língua de sinais adotada é bem diferente daquela que é utilizada aqui no Brasil.

Em Portugal, por exemplo, é utilizada a Língua Gestual Portuguesa – LGP. O motivo disso é que dentro do mesmo idioma (português) há inúmeras variações quanto ao vocabulário e estrutura que precisam ser consideradas.

Quantas pessoas utilizam a Libras?

Aproximadamente 10 milhões de pessoas utilizam a Libras como recurso de comunicação.

O último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, realizado em 2010, aponta que o Brasil apresenta uma população com 10 milhões de pessoas que possuem algum nível de surdez.

Esse número de usuários da Libras tende a aumentar, já que as ações inclusivas têm contribuído para que essa língua de sinais seja ensinada para um maior número de pessoas, incluindo surdos e ouvintes.

A importância da Libras na inclusão social

Libras

Quando pensamos no uso da Libras no dia a dia é preciso ter em mente o papel de grande importância que essa língua exerce para que os surdos possam se comunicar de forma adequada.

Dessa forma, a Língua Brasileira de Sinais está presente nas mais diversas situações do cotidiano e é fundamental que ela tenha cada vez mais alcance.

Na sequência vamos ver algumas áreas nas quais a Libras é ainda mais essencial. Em cada uma dessas áreas, tem sido desenvolvidas ações inclusivas com a finalidade de atender as necessidades da comunidade surda.

Saiba mais sobre a INCLUSÃO SOCIAL

Saúde

Para que os surdos tenham pleno acesso aos serviços de saúde é essencial que os locais que prestam atendimento estejam preparados.

Por esse motivo, em hospitais, clínicas, laboratórios, postos de saúde etc. é cada vez mais comum que alguns profissionais tenham formação em Libras com o intuito de proporcionar um atendimento rápido e de qualidade às pessoas surdas.

Educação

O uso da Libras nas escolas públicas e particulares é cada vez mais frequente no Brasil. Por meio de leis que visam estimular o ensino e aprendizado da Língua Brasileira de Sinais, a área da educação é uma das que mais estão se adequando.

Além de promover uma sociedade mais inclusiva, na qual as pessoas surdas tenham acesso à uma educação de qualidade em todos os níveis, essas ações são essenciais para que futuramente os surdos tenham maiores chances de fazer uma faculdade e entrar no mercado de trabalho.

Ainda que nos últimos anos tenham sido obtidos muitos avanços, somente 12% das unidades federais oferecem graduação em Libras. Isso significa que são necessários maiores investimentos para suporte às diversas áreas da educação com relação à formação na Língua Brasileira de Sinais.

Lazer e cultura

A adoção da Libras no dia a dia é essencial para que as pessoas surdas tenham acesso às atividades de lazer e cultura mais comuns no cotidiano.

Assistir a telejornais, filmes, séries, participar de eventos etc. pode se tornar cada vez mais acessível à medida que os órgãos governamentais e empresas privadas invistam numa comunicação inclusiva.

Atualmente, graças aos benefícios da internet, essa inclusão tem sido facilitada por meio de canais no Youtube elaborados por surdos que visam proporcionar informações a este público.

Vários sites também estão investindo em estratégias para favorecer uma comunicação mais inclusiva para pessoas surdas e também para indivíduos que sofrem com outros tipos de deficiência, como a visual, por exemplo.

Ainda que muitas ações tenham sido adotadas nos últimos anos com o objetivo de viabilizar uma comunicação que atenda às necessidades específicas dos surdos, ainda há muito o que ser feito.

Mercado de trabalho

A inserção dos surdos no mercado de trabalho depende de uma série de fatores. Um deles é a disseminação do ensino e aprendizado da Língua Brasileira de Sinais.

Conforme mencionamos, à medida que a Libras é ensinada com maior naturalidade nas escolas e faculdades, automaticamente os surdos passam a ter melhores oportunidades no mercado de trabalho.

Além disso, é preciso que as empresas invistam na formação de profissionais quanto à Língua Brasileira de Sinais para tornar possível a inserção dos surdos no ambiente de trabalho.

Com relação às empresas, a formação de profissionais em Libras ou contratação de tradutores e intérpretes da Língua Brasileira de Sinais é responsabilidade dos sócios e também dos profissionais atuantes na área de recursos humanos.

Aos poucos, as empresas brasileiras estão se tornando mais inclusivas à medida que a cultura empresarial vai se adequando às novas demandas da sociedade.

Um dos exemplos quanto aos avanços obtidos nos últimos anos é a Lei de Cotas, que determina que empresas de médio e grande porte contratem um determinado percentual de pessoas que apresentam algum tipo de deficiência.

A partir dessa lei, os surdos passaram a ter maiores oportunidades no mercado de trabalho. Ao obterem um emprego formal, as pessoas surdas automaticamente conquistam maior independência econômica.

10 Curiosidades sobre a Libras

Libras

1 – A estrutura da Libras difere da Língua Portuguesa. A Língua Brasileira de Sinais não apresenta artigos, tempos verbais e demais regras empregadas pelo português.

2 – Expressões faciais e corporais são muito importantes. Pelo fato de a Libras ser uma linguagem gestual, ela depende bastante das expressões corporais e faciais utilizadas pelo comunicante. Elas são fundamentais para a compreensão.

3 – Na Libras há regionalismos. Assim como no caso da Língua Portuguesa, a Língua Brasileira de Sinais apresenta regionalismos que precisam ser levados em consideração no momento da comunicação.

4 – Desde que sejam devidamente treinados, os cães são plenamente capazes de compreender os comandos realizados em Libras.

5 – Somente no ano de 2010 a profissão de tradutor e intérprete de Libras foi regulamentada. Esse fator foi bastante relevante para dar maior segurança a esses profissionais e também ampliar a adoção da Língua Brasileira de Sinais nas mais diversas situações.

6 – O Dia Nacional de Libras é comemorado em 24 de abril. Essa data evidencia a luta da comunidade surda quanto à construção de uma sociedade mais inclusiva.

7 – As provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) são realizadas em Libras. Essa medida é de grande importância para atender à alta quantidade de pessoas que apresentam surdez.

De acordo com o último censo do IBGE, nosso país tem 10 milhões de pessoas com algum nível de deficiência auditiva.

Esse número demonstra a importância de desenvolver ações inclusivas que proporcionem maior acessibilidade aos surdos e pessoas que apresentam outros tipos de deficiência.

8 – A TV INES, do Instituto Nacional de Educação de Surdos, foi criada no ano de 2013. Trata-se da primeira web TV brasileira totalmente dedicada às pessoas surdas.

A programação é bastante variada, com noticiários, programas educativos, conteúdo infantil, esportes, entrevistas etc.

9 – No Youtube há inúmeros conteúdos disponibilizados em Libras. São temas variados que abrangem as áreas de educação, cultura, lazer, entretenimento, moda, maquiagem etc.

Tais conteúdos são de grande relevância e favorecem o uso da Língua Brasileira de Sinais no dia a dia.

10 – No Youtube, o canal oficial da Turma da Mônica disponibiliza uma playlist totalmente voltada para surdos, com traduções em Libras das animações.

Além de inserir a versão tradicional (direcionada para ouvintes), as animações são também disponibilizadas na versão em Libras e com o recurso de audiodescrição (que é direcionado para pessoas com deficiência visual).

É possível construir uma sociedade mais inclusiva?

O fortalecimento quanto ao ensino e aprendizagem da Libras é um dos fatores essenciais para tornar a sociedade brasileira mais inclusiva com relação às pessoas que apresentam deficiência auditiva.

Para que essa construção seja possível, diversas ações, das mais simples às complexas, devem ser adotadas por órgãos governamentais, empresas e pessoas.

Por meio da soma de diversas iniciativas é possível tornar o uso dessa língua de sinais cada vez mais comum no Brasil, gerando um ciclo positivo de inclusão.

Além do uso da Libras no dia a dia, é preciso desenvolver outras iniciativas que favoreçam o atendimento às necessidades específicas das pessoas surdas.

Tais necessidades, como já vimos anteriormente, estão relacionadas a diversas áreas: saúde, educação, mercado de trabalho, cultura, lazer etc. Em todas elas, atualmente já é possível observar diversos avanços.

No entanto, para que a Libras se torne cada vez mais frequente também é preciso investir na ampliação quanto ao uso dessa língua nas mais variadas situações do cotidiano, possibilitando que as pessoas surdas tenham pleno acesso à comunicação.

Depois de aprender sobre a Libras, veja nossos demais conteúdos que abordam temas de alta relevância para surdos e ouvintes brasileiros. Todos esses temas trazem informações essenciais para que seja possível construir uma sociedade mais inclusiva.

Língua de sinais: Você sabia ?

Ainda que as legendas sejam inseridas em vídeos e filmes, elas nem sempre atendem às necessidades dos surdos. Isso ocorre porque a Libras é a primeira língua das pessoas surdas, não o português.

Todas as pessoas podem aprender o nível básico de Libras de forma totalmente gratuita por meio de cursos online e aplicativos específicos.

Na Língua Brasileira de Sinais, geralmente as pessoas ganham um nome de acordo com sua personalidade, traços físicos e até mesmo trejeitos.

A Libras é oficialmente reconhecida como língua brasileira por meio da Lei nº 10.436, vigente desde 2002. Essa lei trouxe grandes benefícios para a comunidade surda, possibilitando a adoção de diversas ações no campo do ensino e aprendizado de Libras.

Saiba mais sobre a LEI 10.436 de Libras

Ainda que o Brasil tenha de adotar muitas ações para promover uma sociedade efetivamente inclusiva, a legislação do nosso país no que diz respeito à acessibilidade de deficientes é considerada como uma das mais avançadas do mundo.

Grande parte das pessoas surdas não compreendem de maneira clara a Língua Portuguesa. O motivo disso é que a língua materna dos surdos é a Libras.

Em cada país, as línguas de sinais são completamente diferentes, da mesma forma que há diferenças com relação aos idiomas falados em cada um deles.



Imagens: observatorio3setor.org.br / educarr.com.br / blogdoacelio.com.br

Comentários